A inicial do seu e-mail pode definir quanto spam você recebe

por | set 12, 2008 | Críticas, Dicas, Internet, Mundo estranho, Novidades, Tech Market | 1 Comentário

Porque você recebe mais e-mail que seu cunhado? Talvez esteja relacionado a primeira letra do seu e-mail, é o que revela um estudo da Universidade de Cambridge.

Dentre os métodos mais populares de coleta de e-mails para spam, está o chamado “dictionary attack” (ataque de dicionário, numa tradução livre), que consiste em um spammer pegar um dicionário –não aquele que tem na estante, mas um específico pra spam, com vários nomes–, e testar infinitamente nomes colocando @algumdominio.com.

Então, por exemplo, o bot de spam tenta enviar um e-mail para [email protected], se o e-mail não voltar ele vai tentar enviar o mesmo e-mail para [email protected] e [email protected] e assim por diante. Se alguma pessoa tiver um e-mail chamado [email protected] ele deve ser muito mal afortunado.

Com esse ataque os spammers conseguem uma lista de nomes que quase sempre existem em um provedor de e-mail. Então o exemplo do gmail acima, como também [email protected] e afins são muito mais atacados que [email protected] ou qualquer outro nick complicado.

A pesquisa foi feita com 550 milhões de mensagens de um provedor no Reino Unido. As letras A, M, S, R e P são as que recebem proporcionalmente spam e as letas Q, Z e Y são as que recebem menos (já viu alguém com essas letras no começo do e-mail?), existe uma variação em relação aos nomes brasileiros/latinos, mas o que importa é que ter nome comum no e-mail não é bom.

Como receber menos spam

Embora este ataque de dicionários sejam pseudo-comuns, a maneira mais comum de se coletar e-mails para listas de spam é em cadastros não solicitados e por divulgação em páginas web.

O ideal serial você ter seu próprio domínio pra e-mail, separar e-mail privado de profissional e afins. Eu por exemplo, tenho 5 domínios, cada um com e-mail pra uma finalidade diferente (mas eu sou paranóico, ok?), todos entregam na mesma caixa de entrada.

Se você é adepto a clientes de e-mail como Thunderbird ou Outlook, fica mais fácil, é só criar quantas contas quiser no Gmail e usar o direcionamento POP3/IMAP. E mesmo se você não for adepto de clientes desktop, o Gmail deixa você gerenciar tudo com facilidade (vá em Configurações > Contas e Adicionar outra conta de e-mail).

Digamos que você se cadastre em algum site que não tem nenhuma política de privacidade e parece suspeito – ou você concorda sem saber na política de privacidade que vai receber e-mails mais tarde – isso acontece muito mais do que você pensava e nem spam pode ser considerado, afinal você concordou.

Deixar o endereço em alguma página (procure no Google pelo seu e-mail pra saber se esqueceu-o em algum lugar publico), como perfis de redes sociais, blogs, etc. Tudo conta para que você receba spam.

Mas se você utilizou um e-mail “para cadastros”, não tem perigo de lotar sua caixa de entrada pessoal ou profissional. Então fica a dica, separar e-mails por segmento, um para cadastros, outro profissional e outro pessoal. Mesmo se você não recebe muito spam, fica até mais fácil de definir qual você gostaria de checar depois de um dia estressante e dá pra gerenciar todos no Thundebird, Outlook ou até mesmo Gmail.

Veja o estudo na íntegra (pdf)

Discussão

1 Comentário

  1. Gustavo Medeiros

    Obrigado por usar meu nome como exemplo. ahahuieheiuha Ainda bem q [email protected] não é meu

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *